Loading...

Aguas Calientes: última parada antes de Machu Picchu

Nova
byFugiu

Era uma vez uma cidadezinha no meio do nada, cercada pela natureza e por belas montanhas, trilhas com paisagens de perder o fôlego, muito verde para todos os lados e cheia de histórias de civilizações antigas. Com um clima acolhedor, fontes termais e turistas do mundo todo, Aguas Calientes é a última parada de viajantes e mochileiros a caminho de Machu Picchu.

Localizada no vale do Rio Urubamba, que fica aos pés da cidade perdida dos incas, não é por acaso que Aguas Calientes também recebe o nome de Machu Picchu Pueblo.

A cidade é pequena, mas conta com um grande fluxo de turistas indo e vindo o tempo todo de Machu Picchu, no alto da Cordilheira dos Andes, no Peru.

Seja para pernoitar antes de explorar o principal cartão-postal peruano ou para relaxar, siga nesta viagem com a gente para desvendar as belezas naturais de Aguas Calientes.

Aguas Calientes: última parada antes de Machu Picchu

Diz o poeta que “viajar é trocar a roupa da alma” ...

Aguas Calientes: última parada antes de Machu Picchu

O povoado de Machu Picchu Pueblo está a quase 2.400 metros de altitude e fica a 112 quilômetros da cidade de Cusco, uma das regiões que mais recebe turistas que incluem o sítio arqueológico no roteiro de viagem. De trem, são mais ou menos quatro horas de uma cidade à outra.

As ruínas de Machu Picchu, declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, ficam a 9 quilômetros, depois de uma trilha íngreme de mais ou menos 2 horas de duração ou de uma breve viagem de ônibus, aproximadamente 30 minutos.

Antes de se tornar um povoado turístico e uma cidade dormitório, Aguas Calientes era utilizada como centro de manutenção da linha férrea.

Hoje, já conta com uma praça principal, a Plaza Manco Capac, que sempre atrai quem gosta de tirar fotos com plaquinhas para mostrar que você realmente esteve na cidade. É lá que fica a placa “Bienvenidos a Machupicchu”, um clássico que não pode faltar aos seus registros fotográficos, junto com a estátua do imperador inca Pachacuti.

Além dela, há uma feira de artesanato, um mercado municipal, um museu, uma pequena igreja e a prefeitura.

A natureza está em todos os lugares, com o Rio Urubamba passando por toda a cidade, muitas montanhas e florestas ao redor com trilhas para explorar e as famosas fontes termais de águas quentes que emergem do solo rochoso e dão nome ao povoado.

Com duas ruas principais e o Rio Urubamba cruzando a cidade, Aguas Calientes pode ser totalmente explorada a pé. Aliás, carros não circulam por lá. O único veículo que anda pela região é um ônibus ecológico que leva os viajantes até Machu Picchu.

Agora que você já conhece um pouco mais desse povoado intimista e frenético no vale do Rio Urubamba, vamos compartilhar paradas imperdíveis para transformar a sua viagem em uma experiência inesquecível.

Hot Springs: as fontes de águas termais

A atração que dá nome à cidade é uma boa pedida para relaxar depois de chegar de viagem, de uma trilha pelas montanhas ou de uma visita à cidade sagrada dos incas.

As nascentes sulfurosas e quentes, também chamadas de Hot Springs, ficam a apenas 15 minutos a pé do centro da cidade. Basta seguir o rio até chegar a um cenário que lembra um desfiladeiro cercado por montanhas de todos os lados.

É uma verdadeira imersão na natureza! E é o ponto mais alto de Aguas Calientes, a cerca de 800 metros de altitude.

Do lado de dentro, protegidas por imensos muros de pedra, há pequenas piscinas de águas quentes ao ar livre, de cor turva, meio amarelada e levemente opaca. O tom é característico do enxofre.

Aliás, o cheiro que predomina é o de enxofre, próprio das águas termais. Reza a lenda que ele tem propriedades medicinais fortes e terapêuticas:

• benefícios para a pele;

• bom para acelerar o metabolismo e ajudar na digestão;

• regula a pressão arterial;

• trata problemas musculares e até para algumas doenças;

• alivia o estresse e relaxa.

De origem vulcânica, a temperatura da água pode variar de 38 °C a 46 °C. Também há opções com água gelada das montanhas para quem quiser se aventurar por uma nova experiência.

Para entrar e relaxar, você deve pagar uma pequena taxa de 10 soles (moeda peruana), o equivalente a mais ou menos R$ 12 (2018). O valor vale para o dia todo, das 5h às 20h, ou seja, pode aproveitar à vontade.

Além disso, é preciso deixar todos os seus pertences (malas, bolsas e mochilas) em um guarda-volumes.

Na área das piscinas termais, só é permitido roupas de banho, toalhas e chinelos. Se não tiver nada disso na sua bagagem, você pode alugar ou comprar por lá mesmo, antes de entrar. Há vestiários e duchas no local.

Além das piscinas, você também pode aproveitar uma pequena lanchonete decorada com artesanatos e apreciar um drink típico do Peru, chamado de “pisco sour”.

A cultura inca no Museo de Sitio Manuel Chavez Ballon

Os arredores de Aguas Calientes reservam muito mais do que belas paisagens, trilhas pelas montanhas e banhos de águas quentes. No início da estrada sinuosa que leva até Machu Picchu, a 20 minutos de caminhada, existe um museu.

O acervo do Museo de Sitio Manuel Chávez Ballón conta com mais de 200 peças da cultura inca dos mais diferentes materiais: pedras, cerâmica, metal, ossos. São joias, vasos, ferramentas e muitos traços da arquitetura desse povo, advindas de escavações e outros métodos de construção.

A civilização é antiga, mas o museu é bem moderno. Conta ainda com um acervo disponível em plataformas multimídia. Para experimentar e já ter um gostinho da viagem, você pode fazer uma visita virtual no site do Ministério da Cultura do Peru.

Aberto todos os dias, das 9h às 16h, a entrada custa 22 soles ou R$ 26,50. Por falta de tempo ou de conhecimento, muita gente acaba não visitando a exposição.

Sua fachada é simples, lembra uma cabana no meio da floresta. Na parte externa, você encontra um jardim botânico com plantas da região, orquídeas e mais de 100 espécies de flores.

Aguas Calientes: última parada antes de Machu Picchu


Como viajar mais com o Fugiu

O Fugiu monitora o preço das passagens aéreas no período selecionado, quando encontrar o menor preço médio para o destino escolhido ou destinos que combinem com o seu perfil, ele te avisa.

Você sabe quais destinos são mais semelhantes com o seu perfil? Preencha o perfil da sua próxima viagem e surpreenda-se.


Trilha até uma das joias do Peru: a montanha Putucusi

Machu Picchu é uma das principais atrações para quem vai até Aguas Calientes, mas não é a única. O pequeno povoado peruano é cercado por inúmeras montanhas e esconde diversas trilhas no meio da natureza que levam até elas.

Uma das montanhas da região que atrai os olhares de visitantes e aventureiros é a Putucusi, a 2.560 metros acima do nível do mar. Ela é a menor das três montanhas sagradas mais conhecidas da região peruana, onde viveu a civilização inca:

• Putucusi

• Huayna Picchu

• Machu Picchu

A palavra Putucusi, de origem quéchua, significa montanha feliz. O nome é bonito e pode fazer jus à vista que vem como recompensa depois de escalá-la, mas o caminho até lá não é tão fácil.

Do lado oposto à cidade sagrada dos incas, a acidentada formação rochosa exige esforço e muito preparo físico.

A trilha começa pelos arredores de Aguas Calientes, passa pelos trilhos do trem às margens do Rio Urubamba, por trechos íngremes, degraus antigos de pedras e uma extensa escadaria de bambu, a perder de vista de qualquer ângulo: para cima ou para baixo. Isso porque quando você começa a subir, não vê o fim, nem o início.

Esta é apenas uma parte do desafio. Um dos pontos mais difíceis da aventura é quando você precisa subir com o apoio de uma corda de metal.

No caminho até o pico, entre trechos mais e menos íngremes, é possível encontrar diversas espécies de pássaros, borboletas e insetos, além de plantas e orquídeas.

O tempo médio estimado até o topo é de 3 a 4 horas, dependendo do ritmo de cada um. A partir do seu cume, é possível avistar uma das novas maravilhas do mundo moderno, Machu Picchu, de um ângulo completamente diferente, com uma visão horizontal, além do vale do Rio Urubamba, a montanha Huayna Picchu e a própria cidade de Aguas Calientes.

A montanha Putucusi é considerada uma das joias escondidas do Peru, já que boa parte das atenções é para a cidade perdida dos incas.

Assim como o Museo de Sitio Manuel Chávez Ballón, Putucusi não costuma figurar no roteiro de viagem de quem passa pela região. Além disso, a própria trilha não conta com sinalização e pode passar despercebida.

Uma volta no Mercado Municipal e na Feira de Artesanatos

Voltando a Aguas Calientes, dois lugares merecem um espaço no seu roteiro de viagem. Um deles é o Mercado Municipal, que se torna uma boa opção para comer bem e barato.

Afinal, por todo o movimento turístico no pequeno povoado, os preços tendem a ficar um pouco mais altos. Outro motivo para escolher o lugar para uma pausa é que a circulação de turistas é baixa. O Mercado Municipal é frequentado principalmente pelos locais.

A Feira de Artesanato (ou o Mercado de Artesanias), ao lado da estação de trem, também merece um encaixe no roteiro para quem gosta de conhecer a cultural local, tirar fotos, tomar um café ou fazer compras.

Com diversos produtos locais feitos pelos moradores do povoado, você vai encontrar de tudo um pouco: bolsas, joias, tapetes e roupas. Fique de olho nos preços, eles costumam ser um pouco mais salgados do que em outros lugares. Para comprar ou para apreciar, a visita vale a pena e a pechincha também.

Nas ruas, a cultura inca está em cada detalhe na forma de esculturas em pedras, na arquitetura, assim como a natureza pelos arredores da cidade.

Como chegar a Aguas Calientes

Já deu aquele gostinho de viajar? Enquanto você começa a preparar as malas, pode ler mais sobre a cidade aqui, ver fotos para se inspirar e já ver como chegar até lá.

Afinal, se os carros são proibidos, como fica o acesso até Aguas Calientes? Para chegar ao pequeno povoado e na última parada antes de Machu Picchu, a cidade preferida como ponto de partida é Cusco. Há duas opções de transporte:

Trem

• Peru Rail: o embarque acontece a 25 minutos de carro do centro de Cusco e a viagem leva quase 4 horas. Os preços, dos mais econômicos aos luxuosos, podem variar de 262,19 soles (R$ 316) a 1.562,90 soles (R$ 1.884), o trecho.

• Inca Rail: com uma duração média de 4 horas, dependendo do horário de partida, o trem conta com assentos de primeira classe, visão 360° e a opção mais econômica. Os preços variam de 644 soles (R$ 776) a 252 soles (R$ 303).

Hidrelétrica

Além das duas empresas de trens, há a opção que combina ônibus ou van (média de 6 horas de percurso) mais caminhada e pode ser contratada por meio de agências de turismo. Esta é a escolha mais barata para quem quer economizar e ainda explorar os arredores logo no início da viagem.

O caminho é tranquilo, já que todo o trecho é praticamente plano, e leva cerca de 2 horas até chegar a Aguas Calientes. Basta seguir os trilhos do trem para se guiar.

De Aguas Calientes até Machu Picchu

Chegou a Aguas Calientes e, depois de conhecer o pequeno povoado, vai esticar a viagem até Machu Picchu? Há duas formas de chegar à cidade perdida dos incas.

• A pé:

Entre tantas trilhas, uma delas leva até as ruínas. Vale destacar que a subida é íngreme e leva em torno de 2 horas, dependendo do ritmo e do preparo físico de cada um. Como o caminho é por dentro da mata, é importante levar um repelente para evitar picadas dos muitos mosquitos da região.

• De ônibus:

Este é o único veículo que circula pela cidade. O ônibus também passa por uma estrada íngreme, que exige atenção e cautela em um trajeto que dura mais ou menos 30 minutos, com saídas a cada 15 minutos. A recomendação é comprar o bilhete com antecedência, que custa R$ 24 para ida e volta (2018).

Para aproveitar a experiência e otimizar o tempo, muita gente sobe de ônibus e desce pela trilha. Se você quiser incluir com a visita a Aguas Calientes, vale lembrar também de antecipar a compra das entradas para o sítio arqueológico. Além de concorrida, a atração tem limite de visitas.

Quem gosta de experiências inusitadas, com uma pitada de aventura e um pezinho na natureza e em culturas ancestrais, vai gostar de conhecer Aguas Calientes.